.: SAMAE GASPAR | Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto :.

Home


         
Home > ETAs > Características
           
           

ETA I


Características
Localização: Rua São Pedro - fundos da Igreja Matriz, Centro
Vazão de tratamento: 180 L/s
Reservação: 1.000 m³
Captação: Rio Itajaí-Açu



Histórico
A ETA I começou a ser construída no início da década de 1970, sendo inaugurada em 08 de novembro de 1972 pelo então prefeito Paulo Wehmuth. A obra contemplava uma estação de tratamento e um reservatório com capacidade para 500 m³. Na época a captação da água era feita por meio de um poço que ficava às margens do rio Itajaí-Açu, no bairro Margem Esquerda. 

No início de suas operações, a estação tratava 16 L/s e atendia o Centro e suas periferias: parte dos bairros Margem Esquerda, Sete de Setembro, Santa Terezinha, Gaspar Grande e as ruas Frei Solano, Itajaí e Doutor Nereu Ramos, beneficiando cerca de 1,5 mil ligações.

Atualmente a ETA I é a maior estação de tratamento do Samae. Cada unidade da estação conta com dois sistemas independentes de tratamento. A estação abastece os bairros Centro, Coloninha, Figueira, Gaspar Grande, Gasparinho, Gaspar Mirim, Lagoa, Margem Esquerda, Poço Grande, Santa Terezinha e Sete de Setembro. O número de ligações é de 11.130 e o de economias 13.955 (dados de janeiro de 2015). 

 

ETA II


Localização: Rua Antonio Moser, Bela Vista

Vazão de tratamento: 35 L/s 
Reservação: 540 m³
Captação: Rio Itajaí-Açu



Histórico
A ETA II foi construída em 1989 e inaugurada em 1990. A Ceval Alimentos – adquirida anos mais tarde pela Bunge Alimentos – fez a doação de uma estação de tratamento compacta. Este tipo de ETA possui os processos de floculação, decantação e filtração em uma unidade compacta e fechada. A aplicação dos produtos químicos e a mistura rápida eram feitas na tubulação de entrada da estação. Em contrapartida o Samae instalou um reservatório de contato e um reservatório de distribuição de água com capacidade para 600 m³.

Entre os anos de 1994 e 1995 o Samae retirou a estação compacta e construiu no mesmo local uma estação de tratamento convencional. Em 2009 foi substituído o sistema de captação existente que se fazia por meio de uma embarcação metálica por um sistema flutuante em PVC mais compacto e moderno. 

Atualmente a ETA II abastece o bairro Bela Vista e parte do Figueira, até a rua Guilherme Zabel, próximo a tinturaria Chantelle. O número de ligações é de 3.003 e o de economias é de 3.879 (dados de janeiro de 2015).

 

ETA III

Histórico
A ETA III foi construída em 1991 e inaugurada em 1992. Abastecia os moradores do bairro Belchior Baixo, beneficiando aproximadamente 150 ligações. Os tanques da estação e reservação foram doados pela empresa de pré-moldados Protótipo, de Gaspar, e o restante da obra foi proveniente de recursos próprios do Samae. 


A água era captada do Rio Itajaí-Açu e conduzida a uma estação de tratamento convencional onde se realiza o processo de floculação, decantação, filtragem, desinfecção e por último vai para o laboratório de controle de qualidade. Em seguida era armazenada em um reservatório de 40 m³. No ano 2000 a ETA III foi desativada e os moradores do Belchior Baixo passaram a ser abastecidos pela ETA V, localizada no Belchior Alto.

 

ETA IV

 

Localização: Rua Carlos Zuchi Neto, Bateias
Vazão de tratamento: 14,6 L/s 
Reservação: 400 m³
Captação: Ribeirão Bateias



Histórico
A ETA IV, localizada na Rua Carlos Zuchi Neto, bairro Bateias, começou a ser construída em 1992. No final de 1993 foi inaugurada. O tratamento da água era feito através do sistema de filtros lentos, onde se realiza apenas o processo de filtragem e cloração. A ETA IV foi projetada inicialmente para atender 700 famílias e ter uma reservação de 80 m³.

No ano de 2006, a estação foi reformada e batizada de Estação de Tratamento de Água Arcedes Zucchi, uma homenagem ao antigo morador e comerciante do bairro Bateias. Além disso, o sistema de tratamento mudou, passando a ser executado da mesma forma que uma estação convencional. Este processo envolve a captação da água, floculação, decantação, filtragem, cloração e fluoretação. O reservatório também foi ampliado para 400 m³. Hoje a vazão de tratamento é de 12 L/s. 

Atualmente a ETA IV abastece os bairros Bateias e Barracão e as localidades Óleo Grande e Arraial dos Claudinos. O número de ligações é de 1.407 e o de economias é de 1.564 (dados de janeiro de 2015).

 

ETA V

 

Localização: Rua Nova Biguaçu, Belchior Alto
Vazão de tratamento: 
12 L/s
Reservação: 
310 m³
Cap
tação: Ribeirão Belchior

Histórico
A ETA V foi construída e inaugurada em 1997. A água era captada do Ribeirão Belchior e em seguida bombeada até uma estação de tratamento onde se realizava uma filtragem em sentido ascensional (de baixo para cima), sendo a água filtrada recolhida em uma calha. Após este processo, era adicionado flúor e cloro e em seguida a água armazenada em um reservatório com capacidade para 150 m³. 

No início a ETA V abastecia os bairros Belchior Alto e Belchior Central, beneficiando uma média de 500 ligações. Em 2000 a ETA III, responsável pelo abastecimento do Belchior Baixo foi desativada, e a ETA V começou a atender também este bairro, passando para cerca de 700 ligações. 

Em novembro de 2008 a captação da ETA foi destruída em virtude de deslizamentos de terra que se abateram sobre a cidade de Gaspar e que afetaram o Ribeirão Belchior. Temporariamente, o abastecimento era feito por um sistema de poço artesiano. Em dezembro de 2011 foi construída uma nova captação de água no Ribeirão Belchior e a ETA V foi reformada, passando a operar novamente.

Atualmente a água que abastece a região do Belchior é utilizada apenas do Ribeirão. O número de ligações é de 1.006 e o de economias é de 1.056 (dados de janeiro de 2015).

 

ETA VI

 

Localização: Rua Leonardo Pedro Schmitt, Macucos
Vazão de tratamento: 1,9 L/s
Reservação: 100 m³
Captação: Poço artesiano


Histórico
A ETA VI, localizada na rua Leonardo Pedro Schmitt, bairro Macucos, começou a ser construída em 2002 e foi inaugurada em 2003. O sistema de captação de água é realizado através de um poço artesiano, que fica a 143 metros de profundidade. A água é bombeada até um tanque de contato onde através de equipamentos instalados na Casa de Química recebe adição de cloro e flúor. Em seguida é encaminhada para um reservatório de aço com capacidade para 100 m³ e distribuída à população. Hoje a ETA VI abastece apenas o bairro Macucos. O número de ligações é de 122 e o de economias é de 121 (dados de janeiro de 2015).

 
Ir ao topo